esquizofrenia Ampare psiquiatra Hércules Ipatinga Vale do Aço
Esquizofrenia

O que é esquizofrenia?

Esquizofrenia é uma perturbação mental caracterizada pela distorção do pensamento, por comportamento social fora do normal e a incapacidade de distinguir o que é ou não real, não conseguindo mais diferenciar o que é imaginário e o que é realidade. Provoca alterações no comportamento, indiferença afetiva, pensamentos confusos e dificuldades para se relacionar com pessoas.

 

A doença atinge cerca de 1% da população mundial e acomete pessoas de qualquer idade, porém tem maior incidência no começo da adolescência até o começo dos 20 anos em homens e, em mulheres, no final dos 20 anos até o começo dos 30. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a esquizofrenia é a terceira causa de perda de qualidade de vida entre os 15 e os 44 anos de idade, dentre todas as doenças.

 

Causa da doença

Ainda não se conhecem todos os mecanismos cerebrais que promovem os sintomas relacionados à esquizofrenia, mas hoje sabe-se que se trata de uma doença química cerebral decorrente de alterações em vários sistemas bioquímicos (neurotransmissores) e vias neuronais cerebrais.

 

Não existem fatores psicológicos ou ambientais que causam a esquizofrenia, mas sim fatores de vida que são gatilhos para o início das alterações cerebrais da doença, como por exemplo: traumas, abuso sexual ou morte de um ente muito próximo.

 

Principais sintomas

Os sintomas da esquizofrenia podem variar de pessoa para pessoa, podendo aparecer de forma insidiosa e gradual ou, pelo contrário, manifestar-se de forma explosiva e instantânea. Podem ser divididos em três grandes categorias: sintomas positivos, negativos e cognitivos.

 

Sintomas positivos: os pacientes podem “perder contato” com alguns aspectos da realidade. Os sintomas incluem alucinações, delírios, pensamentos desordenados e agitação psicomotora.

 

Sintomas negativos: Estão associados a interrupções nas emoções e comportamentos normais. Os sintomas incluem redução do afeto através das expressões da face ou tom da voz, redução dos sentimentos de prazer na vida cotidiana, pobreza do discurso e diminuição da fala, dificuldade ou incapacidade de realizar condutas volitivas ou psicomotoras minimamente complexas como: cuidar da própria higiene pessoal.

 

Sintomas cognitivos: Os indivíduos acometidos pela doença apresentam dificuldades de memória de trabalho e funções executivas limitadas. Inclui déficit intelectuais globais, disfunções da memória verbal e visual e dificuldade de se manter focado em atividades diárias.

 

Primeiros sinais da doença

Dentre os comportamentos que podem estar diretamente relacionados com a esquizofrenia, estão:

  • Escutar ou ver algo que não existe;

  • Sentimento constante de estar sendo vigiado;

  • Crenças estranhas: como acreditar em alienígenas ou que a câmera da própria casa o vigia.

  • Linguagem corporal estranha;

  • Mudanças nos hábitos de higiene pessoal e na aparência;

  • Mudanças na personalidade;

  • Respostas irracionais, com medo ou raiva aos parentes e/ou amigos;

  • Comportamento inapropriado ou estranho;

  • Cismas, retraimento social e dificuldade para expressar emoções.

 

Tratamento

Embora não exista cura para a esquizofrenia, muitas pessoas com essa doença podem levar uma vida produtiva e satisfatória com o tratamento adequado. O controle da doença é possível através de uma variedade de serviços, incluindo programas de medicação e reabilitação. A reabilitação pode ajudar uma pessoa a recuperar a confiança e as habilidades necessárias para viver uma vida produtiva e independente na sociedade. A hospitalização de pessoas que estejam durante uma crise, ou que apresentem sintomas muito severos da doença, talvez precisem ser internadas para preservar a sua segurança e a segurança de outros, além da sua nutrição, sono e higiene básica.

 

O portador de esquizofrenia é incapaz de avaliar seu próprio comportamento. Neste caso, pessoas próximas ao paciente são quem identificam os sintomas e procuram ajuda médica. Com acompanhamento de um  psiquiatra e medicamentos é possível que a frequência das crises diminuam e o paciente consiga viver de maneira mais tranquila. O acompanhamento de um especialista é indispensável.

 

Complicações da doença

Quando não tratada, a esquizofrenia pode causar diversos problemas e limitações na vida do paciente. Algumas complicações da doença podem ser causadas ou associadas a:

  • Suicídio, ideias de autoextermínio;

  • Ferir a si mesmo;

  • Depressão;

  • Abuso de álcool ou drogas, incluindo o tabaco;

  • Inabilidade de trabalhar ou acompanhar a escola;

  • Comportamento agressivo.

 

Prevenção

Não há uma maneira de prevenir a esquizofrenia ou qualquer outro distúrbio mental. Porém, vale ressaltar que, quanto mais cedo a doença for diagnosticada, melhor será o tratamento e maior será o controle dos sintomas.

Saiba mais: